terça-feira, 15 de junho de 2010

Entorpece minha alma

Você veio sorridente como um dia ensolarado...
Que iluminava meu horizonte...
Trazia esperanças...
Eu esperava de braços abertos!
As juras que te fiz foram sinceras!
Mas nessas coisas de amor...
Nos enganamos as vezes com o doce mel,
Ainda mais quando o coração está ferido.
É como analgésico...
Hoje me sobraram as taças de vinho,
Que entorpece minha alma,
E assim vou seguindo...

Havia um tempo...

Havia um tempo em que eramos só nós dois,
Em que todos os planos se tornavam um.
Mas chegou um dia que não nos reconhecíamos,
E todo o sentimento virou história.
E o amor escorreu entre meus dedos,
Não pude fazer nada para impedir.
E assim você se foi...
Hoje faço as mesmas coisas, que fazíamos juntos...
E assim até te sinto um pouco mais perto.
Mas não é mais do mesmo jeito,
Agora seus planos estão em outro lugar,
E os meus foram para outra direção. 
E só foram momentos...
Deixou suas marcas e mesmo que cicatrize,
Sentirei saudades de muitos parágrafos.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Ah!Meu primeiro amor...

        Mais um dia em minha vida, em plena adolescência, escola, amigos e nenhuma preocupação. Aquele cotidiano, que conhecemos bem, e mesmo assim, nunca é bom o suficiente. Estudava á tarde, e de onde morava, tinha que pegar um ônibus, em pleno início das aulas.
        Chegou a hora de ir pra escola, entrei no ônibus, e como sempre tímida, sem dar uma palavra, segui meu caminho, e foi o primeiro dia que percebi aquele rapaz. Lembro até hoje, como ele estava vestido: boné, um casado branco com detalhes em vermelho, calça jeans e tênis, os quais eram bem comum á idade. Ali me encantei.
         Bom ai vocês já imaginam, que daquele dia em diante, eu pegava sempre o mesmo ônibus, e procurava ficar alí por perto, para quem sabe num dia de sorte, ele começasse a conversar comigo. E sabe que o meu plano deu certo, um destes dias, aquele papo sobre o tempo:
-Que dia! Podia fazer menos calor!
-É verdade!
       Pois então, não foi tão empolgante a primeira conversa, mas não importava, por que estava muito feliz por ele apenas trocar meia dúzia de palavras comigo, era o dia mais feliz, foi irradiante. Sei que ficaram curiosos pra saber se conversamos mais, e não é que foi, a cada dia os assuntos aumentavam. E assim começamos uma amizade de ir e vir da escola.
      Para dizer a verdade devo muito aos boatos que surgiram na época de que o mundo iria acabar, até deram a data. E foi nesta data, que consegui que ele desse o primeiro passo, aconteceu o primeiro beijo. Começamos a namorar e foram meses maravilhosos.
        Difícil foi apresentar para o meu pai, mas depois desta etapa vencida, acabei perdendo para mim, é ficou intrigado com isso? Mas foi assim, perdi para minha imaturidade e não saber lutar pelo o que eu realmente queria.